Dúvidas

O que são multissítios?

Nas últimas safras houve a intensificação do uso de fungicidas de modo de ação específicos, como os triazóis, estrobilurinas e as carboxamidas. O uso contínuo desses componentes fez aumentar os relatos sobre as resistências das doenças da soja, em especial, o descontrole da ferrugem asiática.

Pesquisadores e órgãos competentes, preocupados com a situação e a resistência das doenças, começaram a recomendar o uso de fungicidas multissítio, considerado por eles a melhor e fundamental ferramenta de controle utilizada no manejo da resistência logo na primeira aplicação.

Os fungicidas multissítio têm papel fundamental na atual situação que passa a cultura da soja, devido a suas características que vão de encontro à necessidade do manejo da resistência.

 

Para a preservação do potencial produtivo da cultura – segundo especialistas e a Embrapa – se faz necessário o uso de fungicidas multissítio com fungicidas de sítio específico.

 

Mas afinal, o que são os multissítios?

São moléculas que agem em diversos pontos do metabolismo do fungo, simultaneamente, impossibilitando que a doença se manifeste. Diferente de formulações comuns do mercado, como os triazois, estrobilurinas e carboxamidas, que atacam apenas um ponto, possibilitando manifestações em outras áreas. Por isso que hoje os fungicidas de sítio específico precisam ser acompanhados de um fungicida multissítio.

 

E por que multissítios e não protetores de cultivo?

Multissítio é a nomenclatura oficial determinada pelo FRAC – Comitê de Ação à Resistência de Fungicidas.